Artigo: O Poder da Palavra de Deus

8 abr by Irmãos em Contagem

Artigo: O Poder da Palavra de Deus

O Poder da Palavra de Deus
Andrew Murray : Do livro: O Aposento Interior
Publicação: 30/03/2013
 “A palavra de Deus que opera em vós, os que crestes” (1 Ts 2:13).

Um dos primeiros requisitos para o estudo frutífero da Bíblia é o conhecimento de Deus como O onipotente, e do poder da Sua palavra. O poder da palavra de Deus é infinito. “Pela palavra do Senhor foram feitos os céus. Ele falou e foi feito; Ele ordenou e rapidamente se fez”. Na palavra de Deus Sua onipotência opera. Ela tem o poder criativo e chama à existência a própria coisa da qual ele fala. Apalavra do Deus vivo é uma palavra viva e ela dá vida. Ela não apenas pode chamar à existência, mas até tornar novamente vivo aquilo que está morto. O seu poder vivificador pode levantar corpos mortos e dar a vida eterna a almas mortas. Toda a vida espiritual vem através dela, pois nascemos da semente incorrutível pela palavra de Deus que vive e permanece para sempre. Aqui então repousa escondido de muitos, um dos segredos mais profundos da bênção da palavra de Deus – a fé em sua energia criativa e vivificante. A palavra trabalhará em mim a mesma disposição ou graça que ele ordena ou promete. “Ele opera eficazmente naqueles que crêem”.

Nada pode resistir ao seu poder quando recebida no coração através do Espírito Santo. “A voz do Senhor é em poder”. Tudo depende de se aprender a arte da receber esta palavra no coração. E na aprendizagem desta arte o primeiro passo é a fé em sua vida, sua onipotência, seu poder criativo. Pela Sua palavra “Deus chamou as coisas que não são, como se eles fossem”. Tão verdadeiros quanto são todos os feitos poderosos de Deus desde a criação até a ressurreição dos mortos, é verdadeira também cada palavra dita a nós em Seu livro sagrado. Duas coisas nos impedem de crer nisso como deveríamos. Uma é a terrível experiência por toda volta, e possivelmente em nós também, da palavra se tornar de nenhum efeito pela sabedoria humana ou descrença ou mundanismo. A outra é a negligência do ensino da Escritura porque a palavra é uma semente. As sementes são pequenas, as sementes podem estar dormentes por muito tempo, as sementes têm de estar escondidas, e quando eles brotam são de crescimento lento. Porque a ação da palavra de Deus é escondida e não visível, lenta e aparentemente fraca, não cremos em sua onipotência. Vamos fazer disso uma das nossas primeiras lições.

A palavra que estudamos é o poder de Deus para a salvação; ela operará em nós tudo o que precisamos, tudo o que o Pai pedir. Que perspectiva esta fé abriria para a nossa vida espiritual.  Veríamos todos os tesouros e bênçãos da graça de Deus que estão dentro do nosso alcance. A palavra tem o poder para clarear a nossa escuridão; em nosso coração ela trará a luz de Deus, o sentimento do Seu amor, e o conhecimento da Sua vontade. A palavra pode nos encher de força e coragem para conquistar todo inimigo, e fazer tudo o que Deus nos pede para fazer. A palavra limparia e santificaria, operaria em nós a fé e a obediência, se tornaria em nós a semente de cada traço na semelhança ao nosso Senhor. Pela palavra o Espírito nos conduziria a toda a verdade, isto é, faria tudo que está na palavra verdadeiro em nós, e assim prepararia o nosso coração para ser a habitação do Pai e do Filho.

Que mudança viria sobre a nossa relação com a palavra de Deus se realmente acreditássemos nessa verdade simples. Vamos começar o nosso treinamento para esse ministério da palavra que todo crente deve exercer, comprovando o seu poder em nossa própria experiência.

Vamos começar a buscar isso, reservadamente aprender a grande lição da fé, a força poderosa da palavra de Deus. Nada menos do que isso é o significado de dizer: ´a palavra do Deus é verdadeira´, porque Deus mesmo a fará verdadeira em nós. Teremos muito a aprender a respeito do que impede este poder, muito para vencer e ser libertado desses estorvos, muito para render para receber essa obra. Mas tudo irá bem se apenas nos debruçarmos sobre o nosso estudo da Bíblia com a resolução determinada de crer que a Palavra de Deus tem poder onipotente no coração para operar toda a bênção da qual ela fala.